quarta-feira, 20 de março de 2013

famosos da internet 2012 a 2013.



Em 2012, o poder de alcance da internet e das redes sociais foi comprovado pela forma como pessoas comuns e artistas inusitados, para dizer o mínimo, obtiveram fama sem precedente, e, em geral, inesperada. Entre os casos mais expressivos daqueles que viraram fenômenos de popularidade na rede estão os de uma estudante brasileira em intercâmbio pelo Canadá; uma família feliz e cantante; uma “artista” espanhola octogenária; um jovem prestes a realizar o seu Bar Mitzvá; e um rapper sulcoreano até então pouco conhecido no Ocidente. No linguajar da rede, essas pessoas “viralizaram”, seus nomes se espalharam por redes sociais, blogs, sites e, a partir daí, alcançaram a realidade em jornais e programas de TV. Alguns aproveitaram a fama da melhor forma que puderam, enquanto outros preferiram a discrição. Apesar das diferenças, todos têm algo em comum: são exemplos de como, para fazer sucesso na internet, é preciso graça, mesmo que involuntária.
Luiza do Canadá

Em janeiro, Luiza Rabello, de 17 anos, estava no Canadá fazendo intercâmbio. E boa parte do Brasil ficou sabendo. A menina virou um fenômeno quando seu pai, o colunista social Gerardo Rabello, de João Pessoa, gravou um comercial para o lançamento de um edifício, e, despretensiosamente, disse: “fiz questão de reunir toda minha família, menos Luiza, que está no Canadá, para recomendar esse empreendimento”. Veiculada no YouTube, a propaganda virou um hit, e a menina, uma estrela. Apesar de ter aproveitado a fama na época e fechado contrato com algumas empresas, Luiza anda sumida dos holofotes. De acordo com seu pai, a menina vai viajar de novo em 2013, mas, dessa vez, para a Itália, onde estudará arquitetura. (Veja o vídeo)

Família "Para nossa alegria"
Uma mãe, seus dois filhos, um violão e muito “talento musical”. Essa foi a fórmula que fez com que Jefferson, sua irmã Suelen e a mãe Mara alcançassem a fama digital em março, por um vídeo no YouTube em que aparecem cantando a canção “Para nossa alegria”. Espalhado pela rede, o clipe gerou diversas paródias, algumas, inclusive, protagonizadas por famosos — como os irmãos Luciana Mello, Jair Oliveira e Jair Rodrigues —, e foi o terceiro mais visto no YouTube no Brasil em 2012. Jefferson e Suelen foram então contratados por uma gravadora, lançaram um CD e têm sido presença frequente em comerciais e eventos. Eles também conseguiram abrir um salão de beleza para a sua família, mas é a carreira artística que pretendem seguir. (Veja o vídeo)

Nissim Ourfali
Em agosto, Nissim Ourfali, de 13 anos, foi catapultado para a fama involuntária da internet por conta de um vídeo produzido para o seu Bar Mitzvah e publicado no YouTube. Na produção, o menino aparece cantando uma versão do hit “That’s what makes you beautiful”, da boyband One Direction, em que apresenta a si, sua família, e deixa claro que o melhor mesmo é quando eles “vão pra Baleia”. Assustados com a repercussão do vídeo, Nissim e seus pais preferiram a discrição. Em outubro, a família Ourfali entrou com uma ação contra a Google para a retirada do vídeo do YouTube, com “o objetivo de proteger a vida privada e intimidade do adolescente”. O processo segue em segredo de justiça, mas o vídeo ainda está disponível na rede.

‘Ecce Homo’ de Cecilia Gimenez
Neste ano, nenhuma “obra” causou tanto burburinho quanto a restauração feita pela espanhola Cecília Gimenez do retrato de Cristo “Ecce Homo”. Em agosto, a nova versão do afresco do século XIX foi divulgada pelo Santuário da Misericórdia, em Borja, e virou um fenômeno por conta de sua “qualidade artística”. O retrato viralizou na rede e inspirou uma infinidade de montagens. A popularidade da obra foi tanta que o Santuário viu seus visitantes saltarem de 300 no verão, para 30 mil apenas em setembro — os administradores, inclusive, passaram a cobrar ¢1 por adulto para ver a obra. Nesta semana, Gimenez, que evita dar entrevistas, voltou a ser notícia ao conseguir leiloar sua obra “Las Bodegas de Borjas” no eBay por ¢1,080 (R$ 2.985).

O ‘Gangnam style’ do rapper Psy
Com 12 anos de carreira, o rapper sul-coreano Psy, de 34 anos, até podia já ser conhecido em seu país, mas foi só com o hit “Gangnam Style”, e o poder da internet, que ele se tornou um fenômeno mundial. Publicado no You Tube em 15 de julho, o clipe levou o visual chamativo e o estilo de dança inusitado de Psy a uma nova audiência. Em poucos meses, o rapper chegou ao topo das paradas de diversos países; entrou para o Guinness com o vídeo mais visto da história do YouTube e o primeiro a ultrapassar a marca de 1 bilhão de visualizações; e colocou o K-pop, ou pop coreano, no mapa do cenário musical internacional. (Veja o vídeo)

Fonte : Globo Site . 

Nenhum comentário:

Postar um comentário